10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

O mundo não é mais o mesmo e estamos todos aprendendo como lidar com o atual cenário. O contexto, o comportamento do consumidor, a forma de se relacionar com as marcas: tudo mudou com a crise do COVID-19. Por isso, empresas precisam correr e adequar seus posicionamentos, investimentos e estratégias. Enquanto não se sabe muito sobre o vírus, olhando pelo retrovisor e para outros mercados podemos ter insights de como reagir à crise, como fortalecer as marcas e trazer receita. 

Abaixo reunimos 10 perguntas importantes para ajudar empresas e profissionais de marketing a atravessarem a crise provocada pelo COVID-19. 

1 – Eu deveria repensar meu orçamento de marketing durante a crise?

Esse é um momento para ser conservador e focar em lucratividade. As taxas de conversão tem tendência a caírem e não sabemos como será a recuperação da economia. Esse é o momento ideal para olhar um pouco menos para métricas como CPA (Custo por aquisição) e ROAS (Return on Advertising Spend ou Retorno sob investimento em publicidade) e olhar mais para a lucratividade da primeira compra, por exemplo. 

Fique de olho sobre mudanças no comportamento do consumidor, reavaliando métricas como o Life Time Value e mude de estratégia se o cenário não favorecer suas decisões atuais. 

Além de mudar a forma que você otimiza suas campanhas, considere cortar os investimentos onde há menor retorno, e manter apenas campanhas com bom desempenho. Pense em margem de lucro, estoque e outros fatores ligados a lucratividade para tomar decisões. 

E atenção: não pare de cortar e otimizar até que cada real investido signifique retorno lucrativo. 

Leia também: 5 estratégias de Marketing para enfrentar o Coronavírus e os possíveis cenários

2 – Devo mudar meu mix de mídia na crise do COVID-19? 

10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

O isolamento social trouxe mudanças significativas no comportamento do consumidor. Se antes mídia externa e rádio poderiam ser importantes pontos de contato na jornada de compra e impactar nas taxas de conversão, agora não é mais na maioria dos segmentos. 

Falando de mídia externa, com menor número de pessoas nas ruas, a exposição a OOH diminui. Já no rádio, sabemos que o consumidor consome essa mídia, em sua maioria, no trânsito. Isolado, a tendência é o consumo cair. 

No isolamento, os principais pontos de contato influenciando as tomadas de decisão são digital e televisão. Esses dois canais estão vendo seu consumo explodir durante a crise do COVID-19.

Estude e reaprenda a jornada de compra dos seus clientes para adequar suas estratégias de marketing e ser assertivo. 

3 – Minhas vendas estão baixas: posso fazer promoção? 

Tome muito cuidado com ‘queimas de estoque’ e promoções do gênero. Além de mostrar desespero, esse tipo de abordagem foge completamente do contexto em que estamos vivendo. Enquanto as pessoas estão preocupadas em manter seus empregos e ficarem saudáveis, sua marca oferece uma ‘condição nunca vista antes, com torra de estoque’. 

Todos precisamos vender, mas o tom errado pode acabar com sua marca. O momento é de empatia, engajar e criar valor. Lembre-se: contexto é tudo. 

Você pode trazer ofertas, descontos e ações promocionais. O que não pode é ignorar que estamos em uma pandemia e que a prioridade das pessoas mudou. 

4 – Como se manter flexível na crise?

Na crise provocada pelo Coronavírus temos apenas uma certeza: o que serve hoje, pode não ser útil amanhã. Ou seja, para sobreviver você precisa estar aberto a mudar estratégia rapidamente. Isso inclui aumentar e diminuir investimentos, reorganizar times, criar produtos e serviços (adequados ao contexto atual) e ser capaz de inovar. Flexibilidade pode ser a barreira entre atravessar ou não a crise. 

Leia também: A Importância do Monitoramento de Redes Sociais para o seu negócio 

5 – A minha marca pode ficar de fora do tópico do momento, o Coronavírus? 

10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

Não, não pode. Seja qual for o seu produto ou serviço, o mínimo que sua empresa pode fazer é mostrar o que tem feito para minimizar os efeitos na sua equipe de trabalho, por exemplo. Claro, se você puder produzir conteúdo útil, mostrar como sua empresa está agindo frente a pandemia, o faça. Indo além, se sua empresa puder tomar atitudes práticas frente ao COVID-19, execute e mostre para as pessoas. 

Por fim tenha em mente: ficar calado não é uma opção. 

6 – Como marcas omnichannel podem se fortalecer na crise? 

Marcas com atuação física e online precisam readequar seus orçamentos agora (se ainda não fizeram), levando seus investimentos para suas lojas virtuais. Com seus clientes gastando mais tempo online e isolados, na maior parte do mundo, aposte suas fichas em canais digitais. Use seus pontos de venda e centros de distribuição para dar suporte a operação online e aproveite para aprimorar seus processos. 

7 – Como empresas de eventos podem atravessar a crise?

De forma imediata, a alternativa é trazer seus eventos para o online. Sendo impossível, implemente políticas claras de reembolso, mantenha seu público informado sobre novas datas e não esqueça de manter sua audiência engajada com lives e outros conteúdos. 

Mantenha seu DNA vivo agora, mesmo que seja nas plataformas digitais. 

8 – Quais segmentos podem se beneficiar de alguma forma no atual contexto?

Com as pessoas ficando mais em casa, marcas precisam se adaptar e oferecer conforto nos lares. Se você vende carros, por exemplo, esteja disponível para fazer entregas em domicílio. Se você é uma marca de luxo, agregue valor levando conforto para as pessoas com conteúdos e produtos adequados ao contexto atual. 

Os clientes estão procurando por produtos e serviços convenientes, que possam ser consumidos em casa e que tornem o isolamento mais agradável. 

Leia também: CAC: como essa métrica pode determinar o destino da sua empresa 

9 – Como empresas de turismo podem atravessar a crise do COVID-19?

10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

Com tantos cancelamentos de viagens, pode não ser fácil atravessar a crise. Companhias aéreas e agências de turismo devem focar em vendas a longo prazo, para 2021 e 2022, além de oferecer políticas de cancelamentos e remarcações flexíveis. Além disso, a oferta de crédito, em caso de cancelamento, deve ser por um longo período de tempo. 

Empatia com os clientes ajudará sua marca a ganhar lealdade e sair com uma boa reputação desse momento. Você não quer ser a empresa mercenária que em meio a uma pandemia negou um cancelamento porque a tarifa não permitia, certo? 

10 – Depois da crise, o digital vai continuar com a força de agora? 

Sim, continuará. Não há indicativos de que o mundo será mais offline no pós COVID-19. Mercados que resistiam a transformação digital estão sendo obrigados a irem pro online. Digital é o novo normal. E continuará sendo. 

Não é possível medir com precisão, mas há quem diga que a crise do COVID-19 deverá acelerar em até 5 anos o amadurecimento dos hábitos de consumo. Isso inclui um consumidor mais conectado. 

O mundo não voltará a ser como era antes. Prepare sua empresa para isso. 

Esperamos que o artigo ajude você a tomar as decisões certas no enfrentamento da crise. Continue ligado em nosso blog e redes sociais para mais novidades. 

Até a próxima!

10 perguntas fundamentais para atravessar a crise do COVID-19

Josafá Rohde
CEO RUNNINGDIGITAL

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *