AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

Não, esse não é mais um blog daqueles que irá te ensinar a teoria sem mostrar a prática!

Muitos profissionais de marketing utilizam, inconscientemente, uma técnica chamada AIDA quando precisam de uma ferramenta para tornar efetivas suas comunicações de marketing. Esse modelo descreve as várias etapas que ocorrem desde quando uma pessoa entra no estágio de conscientização do seu funil de marketing, até quando finalmente toma uma decisão.

Quer saber mais detalhes sobre o que quer dizer e como utilizar o AIDA no seu dia a dia? Então, vamos lá! 

AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

O método AIDA está em uso desde o final do século XIX e significa Atenção, Interesse, Desejo e Ação. É um modelo usado no marketing que descreve as etapas pelas quais os anúncios e as comunicações de marketing conseguem se engajar com os clientes em potencial e como os clientes compreendem as marcas para tomar uma decisão final de compra.

Leia também: Hacks e Dicas: Neuromarketing aplicado à produção de conteúdo.

O modelo AIDA foi desenvolvido pelo advogado americano Elias St. Elmo Lewis, em 1898, com o objetivo original de otimizar o contato entre o vendedor e o comprador, melhorando o fluxo de vendas. Se você é iniciante na área textual ou é um profissional olhando uma página em branco sem saber o que escrever, o método AIDA é um padrão que produz resultados significativos para diversas empresas.

Lewis foi considerado por muito tempo como pioneiro no que diz respeito ao uso de métodos científicos para projetar dados relevantes para a publicidade e vendas. Ele compartilhou seu conhecimento através de publicações – tanto na forma escrita, quanto em seminários em universidades. Seu modelo AIDA pode ser percebido como um legado importante, porque a fórmula ainda é usada a mais de 100 anos após sua primeira aparição, e hoje vamos te explicar na prática como utilizar aí na sua empresa.

O AIDA pode ser utilizado em todos os tipos de materiais de marketing e publicidade online/offline e isso inclui páginas da web, e-mails, anúncios pagos, mala direta e até anúncios de rádio e TV. Ele é baseado em quatro estágios que “atraem” as partes interessadas que estão decidindo sobre um produto ou serviço.

Então, como isso pode ser aplicado ao planejamento de marketing?

Atenção: esse estágio, como o nome já indica, é sobre criar consciência sobre a marca/anúncio. O produto, anúncio ou o que quer que você esteja divulgando deve atrair a atenção do consumidor. Se você conseguir criar um conteúdo que chame a atenção e envolva seu público-alvo, incitará uma curiosidade que levará seu público a descobrir o que sua marca realmente faz e partirá para a próxima etapa.

Leia também: Saiba como aproveitar os anúncios de experiência instantânea no Facebook Ads

AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

Proponha call to actions (CTAs) estrategicamente chamativos e utilize artes com cores fortes. Neste ponto, também vale ressaltar a importância de frases persuasivas e da personalização (por nome, cargo, setor, etc). 

Exemplos: 

  1. Personalização: Anúncios para mulheres que ficaram grávidas recentemente (e que podem ser especificamente segmentadas no Facebook Ads) com o título “Você que está no 2º mês de gravidez, temos uma novidade…”.
  2. Personalização: Anúncio para pessoas que utilizam o sistema operacional Android onde na arte aparecerá a logo do Android.
  3. Personalização: Anúncio segmentado por mês de nascimento com chamada “Promoção somente para aniversariantes do mês de agosto”.
  4. CTA: Arte com título “Super promoção” e CTA “Compre Agora”
  5. Frases persuasivas: Descubra agora, Não perca essa chance, Exclusivo para.

Interesse: Na primeira fase, a atenção do cliente potencial é despertada. Agora seu interesse no produto ou serviço deve ser despertado. Digamos que você esteja produzindo um anúncio no Facebook Ads, onde a arte é o ponto chave para a Atenção e a legenda é responsável pelo Interesse. Essa é a sua oportunidade de passar mais informações sobre aquele post, os motivos para o usuário continuar a leitura, para ir até seu site, efetuar a compra, etc.

Normalmente, neste ponto são apresentadas informações detalhadas sobre o produto ou sobre a solução que o produto oferta no problema do seu cliente.

Exemplos

  1. Nossos exames para descobrir o sexo do bebê são os mais bem avaliados da região. Além disso o tempo médio de entrega dos resultados é de até 2 horas.
  2. Se você está precisando guardar dinheiro para realizar aquela viagem no final do ano, este é o aplicativo ideal para você.
  3. Nossas meias são as melhores da região e o melhor: você tem 25% de desconto e frete grátis até o dia 31. 

Dica extra: utilize as palavras-chave do seu material para chamar a atenção. Perceba que no título deste blog utilizamos AIDA + inteligente + persuasivo. Todas são palavras-chave de interesse pra você, certo? 🙂

AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

Desejo: se o interesse no produto ou serviço foi despertado através da etapa anterior, agora a sua tarefa é convencer o cliente de que ele deseja ser o proprietário do produto (ou seja lá qual será seu objetivo). Esse é o momento de colocar todo o seu conhecimento em princípios da persuasão para causar aquele “aquecimento” no coração do seu público-alvo e fazê-lo cogitar a hipótese de comprar o produto, por exemplo.

Aqui recomendamos que você forneça exemplos claros das vantagens do serviço ou produto da sua empresa. Em um e-commerce uma lista de produtos relacionados pode gerar o desejo de comprar. 

Esse desejo de comprar também pode ser despertado por um meio de um remarketing quando o carrinho é abandonado, vídeos do produto sendo utilizado, reviews de outros consumidores informando que aquele é o melhor produto que já comprou, número de downloads que o e-book já recebeu e assim por diante.

Leia também: Como usar o Google Analytics para otimizar campanhas de marketing digital

Atitude/Ação: assim que o desejo de comprar é despertado é hora de transferir a responsabilidade para uma ação. Utilize botões e títulos para direcionar o usuário para algum lugar além de causa o senso de urgência (e definir um tempo mínimo para a atitude).

Exemplos:

  1. Leia mais no blog.
  2. Compre agora no site.
  3. Agende agora seu exame.
  4. Fale conosco no Messenger.
  5. Apenas hoje, não perca.
  6. Só até o final de semana.

Além dos exemplos acima, você pode incentivar a pessoa a testar seu produto por determinado dia para experimentar e reforçar o desejo. A queridinha Netflix faz isso muito bem com seus 30 dias grátis. Após esses dias de teste gratuito, caso o usuário tenha tido uma boa experiência e se interessado pela grade de conteúdos, dificilmente irá cancelar o streaming.

O AIDA assim como outras ferramentas de marketing está em constante atualização e apesar de ter um direcionamento, não há fórmula mágica. Recomendamos que você coloque teste em prática hoje mesmo na sua empresa e se precisar de ajuda, basta entrar em contato conosco.

AIDA: Como fazer textos mais inteligentes e persuasivos

Thaíse Schmitz
Gerente de Mídia Paga

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *