O que são Influenciadores Virtuais e como eles atuam nas redes sociais?

Com certeza você já se deparou com algum influenciador virtual na internet. Seja recebendo dicas da Lu ou rindo de memes do Pin, não é difícil se envolver com esse tipo de conteúdo nas redes sociais.

Segundo definição, um influencer virtual é uma personalidade online que não existe no mundo real. Através do uso de computação gráfica, as marcas dão vida aos avatares nas redes sociais. 

Olhando para dados, o Brasil é o segundo colocado no ranking de audiência de influenciadores virtuais, ficando apenas atrás dos Estados Unidos. Aliado a isso, é possível notar que o recente uso de IA refinou ainda mais a criação desses influenciadores, proporcionando mais personalidade e influência para com o público.  Hoje, é possível perceber a criação de relações afetivas entre humanos e máquinas através do uso dos algoritmos.

Leia mais: Afinal, porque a diversidade é tão importante para a nova era das redes sociais?

Mas, porque os influenciadores virtuais fazem tanto sucesso?

A ascensão dos influenciadores reais como criadores de conteúdo para as redes sociais fez com que nós nos deparássemos com um comportamento recorrente: o consumidor prefere a opinião de pessoas comuns e com perfil semelhante a ele – além da opinião de familiares e pessoas próximas.

E se a criação de um influenciador perfeito fosse possível? Um avatar com perfil, gostos e comportamentos próprios; características que se assemelham ao público pretendido pela marca, para criar proximidade e uma relação real entre ele e o público. É nesse cenário em que nascem os influenciadores virtuais!

Quais são as vantagens de utilizar Influenciadores Virtuais?

Sendo algo bem atual e relevante, uma estratégia que utiliza influenciadores virtuais apresenta diversas vantagens quando bem aplicada. De engajamento à maior influência, apresentamos alguns dos principais benefícios do uso do recurso:

1- Maior Engajamento 

Segundo a pesquisa da Hypeauditor, influenciadores virtuais têm aproximadamente três vezes mais engajamento que influenciadores reais.  Também podemos destacar que um influenciador real precisa de, em média, quatro vezes mais postagens para ganhar o mesmo número de seguidores que um influenciador virtual. 

2 – Controle

É possível criar um influenciador virtual com os próprios interesses, comportamentos, opiniões e até sonhos – tudo do zero. Isso põe fim ao processo de procurar influenciadores reais que se adequam aos valores e visão da marca. Crie uma figura com personalidade e interesses próprios, que se adequam aos objetivos, estratégias e perfil do público alvo da marca.

3 – Conexão com as novas gerações

Nascendo em um mundo de total integração entre virtual e real, as novas gerações encontrarão um ambiente propício para criar relações profundas e íntimas com as marcas.

Ao mostrar naturalidade na interação homem/máquina, as gerações mais jovens irão ditar as regras para as marcas que têm esse público como interesse.

Já é possível observar o fenômeno ao examinar a tendência da geração Z à interação com Influenciadores Virtuais: 11,2% do total do público desse tipo de influenciador está na faixa etária dos 13 a 17 anos.

Leia mais: O futuro de profissionais e agências de marketing digital no mundo pós-pandemia

Exemplos de Influenciadores Virtuais

Lu (do Maga Lu)

Criada como personificação da Magazine Luiza, a Lu marcou e influenciou a evolução dos influenciadores virtuais do Brasil. De assistente virtual à “influenciadora virtual 3D” (como mostra seu Instagram), Lu descreve e dá dicas de produtos, interage com seus seguidores e trabalha como criadora de conteúdo para a marca. 

Porém, não para por aí! Além de trabalhar como criadora de conteúdo para o Magazine Luiza, a Lu também já foi contratada por outras empresas como na collab com a Adidas!

Sua existência é equiparada à de um influenciador real: tratamos a Lu como alguém que já é de casa!

Seraphine (de League of Legends)

Uma influenciadora, compositora, musicista e sonhadora, Seraphine nasceu como uma garota comum, que tinha o sonho de ser uma cantora famosa. Com o passar do tempo, testemunhamos a ascensão da influencer ao atingir seu auge em MORE

Seraphine trabalha com uma dose tremenda de imersão. Ao cruzar o universo de League of Legends com o mundo real, podemos ver em suas redes a influenciadora em momentos de introspecção em seu quarto, se divertindo com seu gato Bao ou se preparando para a apresentação junto das meninas da KDA na abertura do mundial de league of legends de 2020.

Com seus próprios gostos, estilo e comportamento, Seraphine conquistou os fãs e criou seu lugar no mundo. Seu sucesso pode ser testemunhado em sua caminhada rumo ao estrelato! 

Leia mais: Mídia Espontânea: qual sua importância na viralização de uma campanha?

De olho no futuro:

De olho no futuro:

Podemos facilmente perceber que as empresas que não se adaptarem a esse novo cenário no mercado do marketing de influenciadores estarão perdendo uma fatia promissora do mercado. O comportamento das gerações mais jovens nos mostra a necessidade de entendimento e alinhamento dos valores, cultura, objetivos e sonhos por parte da marca para com o público. Também podemos ver novas oportunidades no horizonte!

Com o surgimento de novidades como o Metaverso e o uso de Inteligência Artificial na automação dos avatares, a integração e imersão com esse tipo de influenciadores tende a ser cada vez maior e mais profunda. Seja para trazer engajamento, fortalecer a marca ou trazer confiança e autoridade, os influenciadores virtuais vieram para ficar. Por isso, estar bem posicionado e pronto para aproveitar as oportunidades que eles proporcionam pode ser o “pulo do gato” na sua estratégia de marketing!

E você, já fez uso da estratégia ou teve experiências com influenciadores virtuais? Conta pra gente!

 

Erick Ribeiro

ANALISTA DE MÍDIA RUNNINGDIGITAL

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn